Daily Archives: 2 de Outubro de 2018

Prémio Jacinto do Prado Coelho para Álvaro Machado e Ana Luísa Amaral

Os livros ‘O significado das coisas’, de Álvaro Manuel Machado, e ‘Arder a palavra e outros incêndios’, de Ana Luísa Amaral, são os vencedores ex-aequo do Prémio de Ensaio Jacinto do Prado Coelho, da Associação Portuguesa dos Críticos Literários. No

Prémio Jacinto do Prado Coelho para Álvaro Machado e Ana Luísa Amaral

Os livros ‘O significado das coisas’, de Álvaro Manuel Machado, e ‘Arder a palavra e outros incêndios’, de Ana Luísa Amaral, são os vencedores ex-aequo do Prémio de Ensaio Jacinto do Prado Coelho, da Associação Portuguesa dos Críticos Literários. No

Livro de jornalista revela segredos da Mossad e é lançado em Portugal

 O livro do jornalista israelita Ronen Bergman sobre os serviços secretos de Telavive é um dos raros exemplos em que uma longa investigação em Israel revela segredos com mais de 50 anos, enfrentando pressões políticas diretas e a censura militar.

Livro de jornalista revela segredos da Mossad e é lançado em Portugal

 O livro do jornalista israelita Ronen Bergman sobre os serviços secretos de Telavive é um dos raros exemplos em que uma longa investigação em Israel revela segredos com mais de 50 anos, enfrentando pressões políticas diretas e a censura militar.

Poema inédito de Sophia é editado na coleção áudio ‘Dizem os poetas…’

O poema ‘Príncipe Estranho’, de Sophia de Mello Breyner Andresen, até hoje inédito, é editado pela primeira vez no âmbito da coleção de CD ‘Dizem os poetas…’, que reúne a poetisa e o escritor Jorge Sena, neste quinto volume. A

Poema inédito de Sophia é editado na coleção áudio ‘Dizem os poetas…’

O poema ‘Príncipe Estranho’, de Sophia de Mello Breyner Andresen, até hoje inédito, é editado pela primeira vez no âmbito da coleção de CD ‘Dizem os poetas…’, que reúne a poetisa e o escritor Jorge Sena, neste quinto volume. A

O português esquecido em Portugal que Espanha aclamou

Especialistas de vários países vão discutir, em Coimbra, a vida e a obra do escritor português Francisco Botelho. Em Salamanca, deram o nome dele a uma praça. Em Torre de Moncorvo, onde nasceu, está completamente ausente da toponímia. Nascido em

O português esquecido em Portugal que Espanha aclamou

Especialistas de vários países vão discutir, em Coimbra, a vida e a obra do escritor português Francisco Botelho. Em Salamanca, deram o nome dele a uma praça. Em Torre de Moncorvo, onde nasceu, está completamente ausente da toponímia. Nascido em

‘A Primeira República. Como venceu e porque se perdeu’ tem nova edição

A I República (1910-1926) foi “ferida de uma crise de legitimidade estrutural” que a tornou “presa fácil da conspiração das direitas antiliberais”, afirma o historiador Fernando Rosas, na obra ‘A Primeira República. Como venceu e porque se perdeu’. “A República

‘A Primeira República. Como venceu e porque se perdeu’ tem nova edição

A I República (1910-1926) foi “ferida de uma crise de legitimidade estrutural” que a tornou “presa fácil da conspiração das direitas antiliberais”, afirma o historiador Fernando Rosas, na obra ‘A Primeira República. Como venceu e porque se perdeu’. “A República