“Caminhos da Pedra” chega em outubro com programação diversificada

O Entroncamento é um dos treze municípios do Médio Tejo a receber o programa cultural em rede “Caminhos”, uma iniciativa que tem como objetivo dinamizar turística e culturalmente os concelhos envolvidos neste projeto.

A programação do “Caminhos” divide-se em três ciclos que acompanham os acessos viários da região: as linhas férreas (Caminhos do Ferro), os leitos dos rios (Caminhos da Água) e as estradas (Caminhos da Pedra). O ano programático teve início no mês de abril com os Caminhos do Ferro, seguiu-se os Caminhos da Água, em julho, encerrando por fim, em outubro, com os Caminhos da Pedra.

painel-caminhosdapedra

A agenda dos “Caminhos da Pedra” está marcada por vários espetáculos, teatro, concertos e percursos artísticos que aguardam o público em cada concelho.

Assim, no âmbito deste projeto o Entroncamento recebe em outubro as seguintes atividades:

12 OUT | 11h00 e 14h00 | Bestiário à Solta “Deixem-nos Ser” | Jardim José Pereira Caldas (Jardim da Aranha)

12 OUT | 21h30 | Música “Lisboa String Trio” | Centro Cultural do Entroncamento

13 OUT | 11h00 | Bestiário à Solta “Tenho um Bicho cá por dentro” | Jardim Afonso Serrão Lopes (Zona Verde)

13 OUT | 21h30 | Performance, Dança, Teatro de Rua “Yann Lleureux” (Flagrant Délire) | Praça Salgueiro Maia

14 OUT | 11h00 | Bestiário à Solta “Curo-vos de todos os males” | Jardim Afonso Serrão Lopes (Zona Verde)

14 OUT | 18h00 | Performance, Dança, Teatro de Rua | Mulier (Maduixa) | Praça Salgueiro Maia

O Bestiário Tradicional Português é a primeira obra que reúne e ilustra as criaturas fantásticas que povoam o imaginário nacional. Homem do Saco, Bicho-Papão, Olharapos, Ganchas e Trasgos são apenas alguns exemplos de cerca de 40 criaturas genuinamente portuguesas, a maior parte nunca antes ilustradas.

Formado por José Peixoto, na guitarra clássica, Bernardo Couto, na guitarra portuguesa) e Carlos Barretto(contrabaixo), os Lisboa String Trio editaram em 2016 “Lisboa”, sucessor de “Matéria”, vencedor do Prémio Carlos Paredes ‘15 atribuído pela Câmara de Vila Franca de Xira. “Lisboa” conta com composições de José Peixoto, Paulo Paz, e temas do universo da guitarra de Lisboa, assinados por Jaime Santos, José Nunes e Domingos Camarinha, entre outros, numa homenagem a clássicos instrumentais, interpretados com a identidade dos LST.

 

Flagrant Délire, apresentado pela companhia francesa Yann Lheureux, um fenómeno com estreia nacional no Entroncamento. Entre saltos, voos e quedas coordenadas num cenário com múltiplas dimensões, um performer mergulha na génese das suas dúvidas e convicções, criando a vertigem de ume espetáculo que, pelo caminho promete fazer estremecer as pedras da calçada da Praça Salgueiro Maia.

Em Mulier, a companhia espanhola Maduixa atira a primeira pedra no combate a preconceitos, tomando o seu espetáculo como uma homenagem a todas as mulheres que durante séculos foram oprimidas e lutaram para viver o seu lado mais selvagem, dançando e correndo livres.

Esta programação em rede pretende ser um ponto de encontro, um encontro dos artistas com as comunidades, dos residentes com os vizinhos ou outros visitantes, da arte com o entretenimento, da cultura com a paisagem natural.

O Município do Entroncamento deixa o convite a todos para descobrirem estes concelhos, ainda mais enriquecidos pela diversidade da sua oferta cultural.

Anúncios